Na pauta do evento, as principais iniciativas do Comitê de Produtos e Novos Negócios da entidade e os resultados alcançados

A Abracorp – Associação Brasileira de Agências de Viagens Corporativas – reuniu-se na última quarta-feira, 13/06, no Braston Augusta, sob gestão da Brazil Sales – Inteligência de vendas hoteleiras. Além dos gerentes operacionais das TMCs associadas, estiveram presentes o Diretor Executivo Jahy Carvalho e a Coordenadora de Comitês da Abracorp, Daiane Moreira. O encontro também contou com uma exposição sucinta de executivos da Beck Up Seguros.

Uma das iniciativas de maior relevância protagonizada pelo Comitê de Produtos e Novos Negócios culminou com o lançamento oficial, no encontro, do Processo de Padronização de Vouchers de Faturamento na locação de automóveis. A importância da medida extrapola o âmbito das viagens corporativas, ao estender os benefícios para os demais segmentos do mercado brasileiro. A medida já está disponível para uso nos GDSs, OBTs e nas conexões diretas do tipo XML, por todas as consolidadoras, operadoras, TMCs e agências de viagens.

O Processo de Padronização de Vouchers de Faturamento, que inclui nomenclaturas e códigos para a locação de veículos, envolveu meses de trabalho da Abracorp, em conjunto com dirigentes das cinco locadoras mais representativas do país. Ou seja: Avis, Hertz, Localiza, Movida e Unidas. “Entre os objetivos desse esforço estão a redução de erros de faturamento; facilitação do processo de reservas para agentes de viagem e consequente aumento de produtividade e ganhos; e aumento da satisfação do cliente”, salienta a Coordenadora de Comitês, Daiana Moreira. Além do engajamento dos times operacionais das  TMCs,  Rute Camargo, Gerente de Marketing e Novos Negócios da Costa Brava e Coordenadora do Comitê de Produtos destaca os ganhos com a padronização: “O ganho desse trabalho foi a redução de 30 modelos de forma de pagamento para 5, padronizando as nomenclaturas e o que cada um autoriza na cobrança e utilizando o mesmo código no GDS.

Essa padronização facilitará a operação do consultor de viagem, dará maior clareza ao cliente do que foi contratado e mais segurança às locadoras no recebimento do que foi acordado. A medida deve impactar positivamente na produtividade da locação de automóveis, com foco no crescente mercado de viagens corporativas”.

Seguem os cinco tipos de vouchers de faturamento.

1 – Faturamento Simples – Diárias

2 – Faturamento Parcial – Diárias + Extras selecionados na reserva

3 – Faturamento Ampliado – Diárias + todas as despesas extras/adicionais

4 – Faturamento Total para a Agência: Diárias + Extras/Adicionais + Período Extra

5 – Faturamento ‘Totalísssimo’: Todas as despesas – incluindo multas, avarias e apropriação indébita.

Cenário favorável

A pertinência desse trabalho vem ao encontro do cenário otimista em relação às perspectivas do mercado de locação no país. Segundo a ABLA – Associação Brasileira de Locadoras de Automóveis, no seu Anuário 2018, o faturamento bruto anual do mercado de locação de veículos atingiu R$15,5 bilhões em 2017, uma alta de 12,3% em relação ao ano anterior (R$13,8 bilhões).

O número de locadoras subiu 2,52%, passando de 11.199, em 2016, para atuais 11.482. O número de usuários registrou aumento de 17,24%, com mais 4 milhões de usuários entre os atendidos pelo serviço (27,2 milhões em 2017, ante 23,2 milhões no ano anterior). A Abracorp considera que o mercado de locação de carros no país, a despeito da crise econômica, tende a avançar nas viagens a lazer e a negócios. Ao fazerem as contas, pessoas físicas e jurídicas optam, mais e mais, pelo aluguel, como já ocorre nos EUA e Europa. No contexto contemporâneo, sustenta-se que a locação é o mais original dos compartilhamentos.

Ainda segundo a ABLA, a terceirização de frotas é responsável por 58% do mercado. Locação para o turismo de lazer (23%) e de negócios (19%) completam a estratificação do total de clientes por tipo de negócios das locadoras. As locadoras emplacaram 359.702 veículos em 2017, aumentando sua participação nas compras (16,56% de todos os automóveis e comerciais leves vendidos no país foram para locadoras), ante 10,95% em 2016.

Seguro Viagem

No fecho do encontro, os executivos Evandro Correa e Klaus Kühnast, da Bek Up – Soluções de Seguros, apontaram oportunidades de novos negócios para as TMCs que vierem a recomendar uma apólice de seguro viagem corporativa integrada aos benefícios ofertados aos colaboradores das empresas clientes. Mencionaram exemplos de corporações que já adotam o seguro viagem como política de Recursos Humanos. Com isso, evitam riscos desnecessários que resultam em custos elevados em caso de sinistros. Os especialistas convidados enfatizaram ser ilusão acreditar que as coberturas gratuitas dos cartões de crédito dispensam outras providências.

Também lembraram que medidas adotadas pela Susep exigem das seguradoras e da rede de distribuição de seguro viagem o dever de informar e também que seja feita a emissão de uma apólice. A consultoria ofertada pelas TMCs às empresas dos mais variados ramos e portes implica em responsabilidade. Ou seja: a de alertar a corporação cliente sobre os riscos decorrentes do viajante não ter as devidas coberturas. Em caso de sinistro, todos – empresas e TMCs – são responsabilizados solidariamente.

As informações compartilhadas com gerentes operacionais das TMCs associadas participantes do evento revelam qual é a participação de cada canal de venda. Os grandes canais produtores continuam sendo as agências de viagens e operadoras de turismo, com destaque para cartões de crédito, vendas online e cias aéreas.