DSCN6354-A ABRACORP realizou, ontem (22), o segundo encontro dos gestores de eventos da entidade. A reunião foi patrocinada pelo Actuall Convention Hotel, de Belo Horizonte.

O primeiro assunto abordado no encontro foi o aprimoramento da pesquisa de vendas da Abracorp, elaborada com o apoio das 32 agências de viagens associadas. De acordo com Gervasio Tanabe, diretor-executivo da entidade, esta iniciativa é de extrema importância, uma vez que o estudo se consolida, cada vez mais, como referência setorial, sendo foco de pesquisas de toda a cadeia, clientes, fornecedores e os próprios associados. “Nosso objetivo é agregar valor aos números que geramos e por isso, quanto mais detalhada a informação, melhores avaliações nossos stakeholders podem fazer sobre seu negócio e sobre o mercado”.

Capacitação

A fim de contribuir com a qualificação dos profissionais e favorecer a aproximação das agências de viagens associadas com os eventos corporativos realizados no país, a diretoria executiva da Abracorp está em negociação com algumas empresas, buscando patrocínio para um inédito projeto de capacitação que será desenvolvido pela entidade.

A capacitação é a base das atividades da ABRACORP no que se refere ao grupo de mais de 8900 colaboradores que compõem a entidade.

 Eventos corporativos no exterior

Eduardo Bittencourt, diretor da CH Travel, falou sobre importantes aspectos sobre uma operação de eventos corporativos internacionais. Na oportunidade, declarou que conhecer o perfil do passageiro e do grupo como um todo é fundamental para a realização de uma viagem bem-sucedida.

“Nem sempre é possível conseguir mais por menos”, afirmou o diretor, referindo-se ao crescente interesse das empresas em reduzir custos no tocante à organização de viagens de negócios especificamente tendo como destino os Estados Unidos, mercado que cujo movimento doméstico está se aquecendo.

Bittencourt elencou também as vantagens de se contratar os serviços prestados por uma Destination Management Company, corporação especializada na gestão de destinos. Segundo ele, os principais benefícios estão relacionados à expertise na área de atuação, entendimento das necessidades dos clientes, suporte local e facilidade operacional, visto que uma única empresa se torna responsável por todo o processo.

 Panorama das feiras brasileiras

Também nesse encontro, esteve presente o presidente da UBRAFE (União Brasileira de promotores de Feiras), Armando Arruda Pereira de Campos Mello, que proferiu uma palestra sobre as oportunidades de negócios durante uma feira.

O dirigente apresentou um panorama geral das feiras promovidas no país e alegou que, no Brasil, “as feiras de negócios dão certo porque são muito democráticas, já que reúnem todas as empresas em um mesmo local”. Além disso, oferecem a possibilidade de se avaliar tendências e colaboram na geração de postos de trabalho em mais de 50 diferentes atividades de serviços antes, durante e após sua realização.

Nas palavras do presidente, são “eficazes instrumentos de promoção comercial em soluções competitivas para o mercado”, contribuindo para a ativação de canais de distribuição a partir da aproximação com fornecedores de todos os nichos.

No Brasil, a região Sudeste concentra o maior número de feiras – anualmente, apenas o estado de São Paulo recebe algo em torno de 800 eventos, o que representa a chegada de 8,8 milhões de visitantes (47% deles são turistas) e um impacto econômico de R$ 16,3 bilhões.