All posts by Assessoria de Imprensa

Conselho de Administração Abracorp
O Conselho de Administração Abracorp, vem a público se manifestar contra ações das companhias aéreas Alitalia e Air Europa, relacionadas a redução de contrapartidas e decididas de forma unilateral, que vem a comprometer a sustentabilidade e equilíbrio fiananceiro de seus associados na comercialização de seus produtos.
O tema, redução de contrapartidas, será analisado na próxima reunião da Assembleia Geral para possível suspensão de vendas.
Conselho de Administração Abracorp
Jahy Carvalho é o novo Diretor Executivo da Abracorp

O Presidente do Conselho de Administração da Abracorp, Carlos Prado, anuncia a contratação de Jahy Carvalho para o cargo de Diretor Executivo da entidade. Carvalho atua na indústria de viagens corporativas há mais de 20 anos. Conta com passagens bem sucedidas por importantes empresas do mercado, a exemplo da BCD Travel, Carlson Wagonlit e Itaú Turismo, sempre em posições executivas de liderança. Sabe lidar com o complexo universo da indústria, suas oportunidades e desafios no mercado global e nacional.

Hora de passar o bastão!

Rubens Schwartzmann*

Aprendi com meu pai que a vida profissional não se restringe à luta cotidiana para tornar nossas empresas sólidas, saudáveis e bem-sucedidas. Fora das quatro paredes dos nossos escritórios, há missões fundamentadas no voluntarismo, no engajamento setorial e na percepção de que, sozinhos e isolados, somos mais vulneráveis.

Nossa empresa pode ser uma ilha de excelência, por exemplo. Mas é preciso enxergar e levar em conta o arquipélago todo em sua volta… A união de propósitos e a comunhão de práticas saudáveis, de forma organizada, levam à criação de instituições, de entidades que não visam a lucro, mas ao fortalecimento coletivo dos associados, proporcionando ganhos para o mercado como um todo.

Assim sintetizo a razão de ser da Abracorp! E, também, o escopo da minha atuação na Presidência do Conselho Administração da entidade, em mandato de dois anos, que chega ao encerramento. Conforme sinalizei na posse, não postularia mais um biênio, como prevê o estatuto da Abracorp. Sempre acreditei na força do coletivo e continuo acreditando muito na força da nossa ABRACORP, afinal, isso foi o que me motivou, naquele momento, a decidir dedicar parte do meu tempo e da minha experiencia em prol desta entidade e, por consequência, de toda a nossa indústria! Sim! Alguns projetos em fase de conclusão têm impacto direto em toda cadeia de fornecedores e empresas clientes. Contudo, como dito acima, a entidade representa o coletivo e, portanto, é hora de passar o bastão e dar espaço a outros associados também darem a sua contribuição.

Para efeito de registro, cabe resgatar algumas ações que marcaram este ciclo, dentro de um plano de metas até mesmo ambicioso, considerando a profundidade e complexidade dos processos de mudança:

  • Logo no início fizemos a revisão do nosso Planejamento Estratégico, com assessoria da KPMG;
  • Em seguida, mudamos o formato das reuniões, tornando-as mais interativas, dando espaço ao associado para participar da co-criação de projetos importantes para o setor e criamos um ambiente favorável a discussão de temas relevantes (espaço chamado de “voz do associado),
  • Decidimos colocar as mãos num “vespeiro” (afinal, apurar os números de vendas de uma empresa muitas vezes já é difícil, imagine consolidar os dados de 30!) e implantar o BI Abracorp – concluída fase 1 do projeto. Esta ferramenta irá oferecer dados estatísticos incríveis para toda indústria;
  • Realizamos o 1º Fórum Abracorp direcionado ao mercado, dentro da Abav Expo 2017;
  • Dado o sucesso do 1º, realizamos do 2º Fórum Abracorp, este na WTM LA 2018 e operacionalizado 100% pelo nosso comitê de Eventos;
  • Revitalizamos as atividades dos comitês temáticos, que incluiu, entre outras atividades, a padronização de vouchers das locadoras de automóveis.
  • Com o apoio de outras entidades e de alguns fornecedores parceiros, estamos em vias de lançar nossa plataforma de Princípios e Valores do Associado e Guia de boas práticas dos Fornecedores e Clientes. Esta plataforma tem por objetivo promover as melhores práticas em gestão de viagens corporativas e nortear um relacionamento ético e sustentável entre as três partes (TMC & FORNECEDOR & EMPRESA-CLIENTE).

Sobre o BI Abracorp, estou certo de que se trata de iniciativa de grande impacto e relevância para o mercado como um todo, ao conferir mais abrangência e precisão na coleta, apuração e análise de dados setoriais. As cias aéreas, a hotelaria, as locadoras e seguradoras; os meios de pagamento; enfim, todos os elos de uma extensa cadeia de valor podem, com os recursos do BI Abracorp, ter acesso – sob medida – a informações apuradas de forma automática e não mais manual, tendo assim aderência a diretrizes de compliance e governança.

Herdeira da série histórica de dados que eram divulgados pelas entidades que lhe deram origem (FAVECC e a TMC Brasil), a Abracorp só fez conquistar credibilidade e reconhecimento como referência setorial.

O Boletim Abracorp em Ação, recém-lançado pela Coordenadoria dos Comitês da entidade, que tem à frente Daiana Moreira, é parte das nossas iniciativas educacionais. Os materiais produzidos estão disponíveis na biblioteca virtual Abracorp (abracorp.org.br) ou nas redes sociais…

Ao fim desta missão, quero agradecer o apoio recebido por todos, em especial dos membros do nosso Conselho, do meu vice-presidente (Carlos Prado), que me ajudaram muito nesta empreitada; também quero agradecer aos meus antecessores nesta posição (Edmar e Francisco), que me apoiaram em todas as iniciativas propostas. Meu reconhecimento à presteza e profissionalismo dos colaboradores que tocam o dia-a-dia da entidade (Daiana e Michelle), incluindo o nosso ex-diretor executivo Gervásio Tanabe, que agora empresta seu talento e dedicação à Abav Nacional.

A Abracorp está pronta para receber o novo presidente do Conselho de Administração. Seja ele quem for, vai contar com uma boa base e caminhos bem delineados para tornar a entidade mais e mais significativa para o segmento de viagens corporativas! Acredito em decisões coletivas, que amplificam a força de união.

Abraços e Sucesso a todos!

*Rubens Schwartzmann é CEO da Costa Brava e presidente do Conselho de Administração da Abracorp

2º Fórum Abracorp discute importância das TMCs

No primeiro dia da 6ª WTM Latin America, 03/04, realizou-se o 2º Fórum Abracorp. Na oportunidade, empresários e executivos protagonizaram a discussão sobre pontos relevantes acerca da importância das TMCs na solução de problemas e geração de oportunidades para os clientes. O evento contou com palestra do experiente consultor Lúcio Oliveira, focada em ‘Tomada de Decisões’. E, também, com um painel muito bem representado pelos players do setor.

O presidente do Conselho de Administração da Abracorp, Rubens Schwartzmann, na abertura, lembra que o 2º Fórum Abracorp replica o 1º, lançado na última Abav Expo. “Existem muitos eventos na nossa indústria e a Abracorp tem representatividade de peso no mercado. Daí a realização da 2ª edição do Fórum, respaldados no sucesso do lançamento, no ano passado”, explica o dirigente. A coordenação do evento coube ao Comitê MICE da Abracorp.

Tomada de decisões

O fundador da consultoria Capacitar, Lúcio Oliveira, pontuou na sua exposição que “seja qual for a necessidade do momento, as corporações estão sempre tomando decisões a partir de dois aspectos: para resolver um problema ou para desenvolver oportunidades”. Acrescentou que é fundamental saber quais os objetivos que se quer alcançar com a decisão a ser tomada. E quais são as preferências, os critérios, as estratégias mais apropriadas para fazer esse negócio acontecer.

O palestrante explica que, por definição, tomar decisões é escolher entre diversas alternativas, baseando-se em crenças, valores, experiências e conhecimentos, além de aspectos e emoções. Com base no precursor da Teoria das Decisões, Herbert Simon, salientou que o processo decisório compreende três fases: prospecção, onde o problema é analisado; concepção, para a criação de alternativas da solução, e decisão, onde é feito o julgamento ou escolha de uma das alternativas.

Painel de Debate

Sob a moderação de Ana Masagão, do Royal Palm Hotéis, nove representantes de empresas e entidades do segmento de viagens corporativas e eventos responderam a questões atuais e relevantes. O tom geral das abordagens foi marcado pelo otimismo. Houve reconhecimento geral sobre o papel determinante das TMCs no mercado de viagens e eventos como um todo.  Desafios, estrutura tecnológica, qualidade e entrega de serviços com excelência foram temas que permearam o debate.

Para o diretor comercial da Movida, Jamyl Jarrus, participar da WTM Latin America abre espaço para o setor de locação de carros. “O crescimento do mercado de locação de carros em viagens corporativas tem relação direta com o papel cada vez mais relevante das TMCs no segmento de viagens corporativas e eventos”, diz Jamyl Jarrus.

Rodrigo Napoli, diretor comercial da Avianca, mencionou os novos planos da empresa para o mercado corporativo. “Depois de nos estruturarmos, hoje temos condições de atender bem esse mercado e muito interesse em ampliar serviços ao segmento MICE”, diz Napoli.

Participantes do Painel

Moderadora: Ana Masagão

Eduardo Murad – Diretor Executivo da Alagev

Fernanda (Hilton Hotéis)

Jamyl Jarrus – Diretor Comercial da Movida

José Fonseca – Travel Manager MSD, representando TMG

Nelson Oliveira- Global Supplier Management da CWT, representando a Abracorp

Rodrigo Napoli – Diretor Comercial da Avianca

Sheila Ramos – Gerente MICE da Kontik, representando o Comitê de Eventos da Abracorp

Vinicius Luz – Travel Manager Unilever, representando Alagev

Profissional de Eventos: o ônus e o bônus desta profissão

Sheila Ramos*

Você, profissional da área de eventos, provavelmente já escutou a frase: “Você só viaja, eu queria ter um emprego desse!”

Talvez este desejo não se mantivesse depois da primeira noite, com apenas 2 horas dormidas após uma longa jornada de 22 horas seguidas de trabalho. Ou, quem sabe, após perder o aniversário de um filho ou até mesmo o seu próprio aniversário longe da família e amigos.

Não por acaso, em uma pesquisa realizada pela Forbes nos Estados Unidos, em 2017, o organizador de eventos ficou em 5º lugar no ranking das 10 profissões mais estressantes, atrás apenas de militares alistados, bombeiros, pilotos de cias aéreas e policiais.  Ao observarmos a rotina deste profissional, vemos tantos processos e ações simultâneas, aliados à pressão de que nada pode sair errado, resultando em uma carga horária cada vez maior, uma rotina cada vez mais irregular e muitas xícaras de café, pré-requisitos para uma boa crise de estresse.

Por outro lado, o profissional de eventos costuma se hospedar nos melhores hotéis e resorts do Brasil e do mundo, degusta menus assinados por grandes e renomados Chefs e recebe convites para conhecer novos destinos e produtos que, na grande maioria das vezes, seu salário não poderia lhe proporcionar jamais.

Isto gera um dilema entre “ônus X bônus” em uma constante reflexão, se está valendo a pena tanto esforço e dedicação.  O que muitos não sabem é que, por trás de tudo isto, as pessoas que trabalham nesta área são movidas pela paixão pelo que fazem. São totalmente viciadas na adrenalina e na falta de rotina e, principalmente, na sensação de êxtase ao presenciarem o sucesso do evento in loco, ao verem os participantes serem surpreendidos a cada evento com algo inusitado.

Contudo, não podemos nos esquecer de que este momento é efêmero e que, para se chegar a ele tivemos que empreender grande desgaste físico e psicológico, fatores esses que podem culminar em uma “Síndrome de Burnout”, ou seja, um intenso esgotamento físico e emocional.

Seguem abaixo algumas dicas de como podemos amenizar esse perigoso quadro, mantendo não só uma melhor qualidade de vida, mas principalmente elevando também a qualidade dos eventos que beneficiará a todos:

1) Conecte-se com seu corpo: escute suas músicas preferidas, faça um break de pelo menos 15 minutos pela manhã e à tarde, tenha sempre lanchinhos rápidos e saudáveis à mão e aposte em uma alimentação mais saudável e, de preferência, sem usar o celular enquanto se alimenta.  Estas pequenas ações lhe ajudarão a aliviar um pouco o impacto da falta de rotina e a sobrecarga de trabalho no seu dia a dia.

2) Delegue responsabilidades: caso você não seja um super-herói dotado de superpoderes, não tente fazer tudo sozinho!  Lembre-se de que, quando dividimos, além de somar forças, multiplicamos. Assim, você terá mais tempo para criar conteúdos mais interessantes.

3) Potencialize sua força usando um bom canal de distribuição: por meio da parceria com uma boa TMC (Travel Management Company), você obtém o melhor custo-benefício e amplia seu campo de visão. Estes profissionais possuem um alto poder de negociação baseado em grande volume de negócios e conhecimento do que o mercado tem a oferecer; quais são os melhores players, os mais flexíveis ou inflexíveis, os novos produtos e serviços recém-inaugurados.  Estas empresas buscam a longevidade da parceria, afinal eles não querem lhe atender somente em um job e sim estabelecer uma relação duradoura, tanto para suas viagens corporativas quanto para seus eventos.  Assim, sempre buscam a melhor opção que vá ao encontro da sua necessidade para aquele momento específico, com uma visão sobre o todo. Isso não ocorrerá em uma negociação direta com o fornecedor final, que visa ter sucesso naquela única venda. Afinal, sua empresa pode demorar alguns anos para voltar àquele local.

4) Não arrisque a sua carreira: cuidado com as armadilhas que às vezes a redução do budget lhe traz.  Como citado no item anterior, a ajuda de um profissional competente lhe trará o melhor custo-benefício, sem colocar em risco a segurança de seus convidados e ainda lhe alertará sobre o que é imprescindível e que às vezes passaria despercebido, como a necessidade da contratação de um seguro, uma ambulância ou um veículo blindado.  Diariamente, todas as TMC´s são acionadas para socorrer algo que não saiu como o esperado ou prometido por algum fornecedor não qualificado, ou até mesmo que ninguém havia se atentado. Como vimos, essa profissão já é muito desgastante, você não precisa elevar ainda mais o seu nível de estresse, entrando em uma situação de risco assim.

*Sheila Ramos, coordenadora do CLEVI (Comitê de Logística de Eventos e Viagens de Incentivo) da Abracorp, tem em seu DNA a expertise dos maiores profissionais em logística de eventos do mercado, com o objetivo de compartilhar as melhores práticas neste segmento, assim como encontrar as melhores soluções sustentáveis para a tríade de associados, clientes e fornecedores, fortalecendo o segmento MICE (Meetings, Incentives, Conferences and Exhibitions).

Abracorp anuncia novidades para o setor

Na manhã de 21/03/2018, empresários e executivos representantes das companhias que compõem a Associação Brasileira de Agências de Viagens Corporativas (Abracorp), reunidos no Golden Tulip São Paulo Jardins, foram recepcionados por Joice Alves, gerente nacional de vendas da Brazil Hospitality Group (BHG). Na abertura do encontro, a anfitriã apresentou informações sobre o desempenho do grupo no país e destacou a inauguração, em 20/03/2018, do novo empreendimento Soft Inn Maceió Ponta Verde, que passa a ser o maior hotel em número de quartos de Alagoas. São 249 apartamentos e localização privilegiada também para viajantes de negócios e eventos.

Outras novidades complementaram a pauta. Os testes finais do sistema de Business Intelligence (BI) da Abracorp, desenvolvido e apresentado pela empresa de tecnologia BMR, revelaram total precisão e riqueza no tratamento dos dados processados de forma automática. “A tabulação das variáveis disponíveis com o BI constitui um marco para o setor de viagens e turismo como um todo”, resume Rubens Schwartzmann, presidente do Conselho de Administração da Abracorp.

Com 100% de assertividade na coleta censitária das informações obtidas dos sistemas de back office das agências, sem intervenção humana, o BI Abracorp permite cruzar dados setoriais sob demanda. A metodologia adotada aprimora análise do desempenho da movimentação de negócios, com foco nas vendas efetivadas mensalmente.

Para garantir comparações estatísticas com movimentação dos negócios realizados nos mesmos meses do ano anterior, os dados relativos ao ano passado estão carregados no BI Abracorp. “Em breve, o mercado será beneficiado com recursos que vão disponibilizar estudos e recortes de análise sob medida”, complementa Carlos Prado, vice-presidente da Abracorp.

Na oportunidade, foi confirmada a data para a eleição do novo Conselho de Administração da Abracorp: dia 26 de abril de 2018, quando também a entidade reunida em Assembleia prevê deliberar sobre a divulgação de princípios de valor e recomendações de boas práticas setoriais.

A entidade anunciou ainda o 2º Fórum Abracorp, que será realizado durante a WTM Latin America, no próximo dia 3 de abril, das 13h às 15h, para abordagem de três temas distintos e complementares. “TMC’s, o parceiro estratégico do cliente e do fornecedor”; “Cliente, como melhor qualificar seus projetos de gestão de viagens e eventos por meio das TMC’s?” e “Fornecedores, como potencializar as TMC’s como seu melhor canal de distribuição?”

A reunião foi encerrada com uma homenagem surpresa para o ex-diretor executivo da Abracorp, Gervasio Tanabe, que assumiu a mesma função na Associação Brasileira de Agências de Viagens (Abav Nacional) no final do mês passado (22/02/2018). Aplaudido por todos os presentes, Tanabe recebeu uma placa com os seguintes dizeres: “Agradecemos pelos anos dedicados à consolidação da Abracorp. Obrigado pelo profissionalismo, amizade e comprometimento com todos os associados. Que a sua vida profissional continue contribuindo para o desenvolvimento do nosso setor. Uma homenagem de todos os associados Abracorp”.

Mercado de viagens corporativas cresce 6,6% em 2017

Os dados consolidados da pesquisa de vendas da Abracorp, na comparação entre 2016 e 2017, apresentaram variação positiva de 6,6%. O volume financeiro saltou de R$ 10.714.409.733 para R$ 11.424.394.532. Dos 12 segmentos pesquisados, destaque para a recuperação do aéreo: o nacional cresceu 9,9% e o internacional 22%. Juntos, perfizeram avanço de 15,1%, de um exercício para outro.

Enquanto o aéreo doméstico evoluiu de R$ 4.052.426.498 para R$ 4.454.930.402, o internacional passou de R$ 3.068.082.091 para R$ 3.742.105.281. Embora bem menos representativo, em termos absolutos, o segmento de transfers cresceu 31,9% – R$ 30.716.090 em 2016 e R$ 40.529.867 em 2017. O mesmo se deu com o item ‘cartão assistencial’, que avançou 30% (de R$ 10.284.070 para R$ 13.365.821).

A GOL Linhas Aéreas liderou o desempenho no mercado doméstico, em faturamento: cresceu 12,9%, passando de R$ 1.237.775.536 em 2016 para R$ 1.397.940.331 em 2017. Em termos nominais, a Avianca avançou 26,5% (evoluiu de R$ 394.718.475 para R$ 499.460.714). A Azul subiu 5,9% (de R$ 1.183.018.777 para R$ 1.253.323.289). E a TAM cresceu 4,1% nas vendas, passando de R$ 1.195.023.451 para R$ 1.244.311.602.A tarifa média do aéreo doméstico aumentou 4,8%.

A TAM liderou as vendas do aéreo internacional. Cresceu 12,6% – passou de R$ 590.345.451 para R$ 664.623.852. Em bilhetes vendidos, cresceu 10,6% – de 181.931 em 2016 para 201.206 em 2017. A American faturou 17,7% a mais (de R$ 374.308.680 para R$ 440.580.845). E a Airfrance/KLM registrou crescimento nominal de 39,5% – passou de R$ 244.695.987 para R$ 341.276.679.

Hotelaria recua

Os meios de hospedagem doméstico e internacional, juntos, registraram redução de vendas em 4,6%, na comparação dos dois exercícios. Ou seja: o recuo foi de R$ 2.367.418.361 para R$ 2.257.632.204. Em separado, a hotelaria nacional decaiu 5,3% (de R$ 1.955.380.200 para R$ 1.852.262.118). E a internacional recuou 7,7% (de R$ 412.038.161 para R$ 380.715.728).

Em diárias vendidas, os independentes evoluíram 4,6% (de 3.920.753 em 2016 para 4.099.717 em 20170. A Rede Accor oscilou 5% (de 1.049.722 diárias em 2016 para 1.102.473 em 2017). Embora com menor volume, a Blue Tree Hotels cresceu 13,3% em venda de diárias – saltou de 213.727 em 2016 para 242.139 em 2017. A diária média da hotelaria nacional regrediu 6,7%, na comparação.

Cabe destacar que o agrupamento dos hotéis independentes, detentor do maior faturamento na hotelaria nacional, sofreu variação negativa de 0,1% de um exercício para outro. Faturou R$ 726.090.464 em 2016 e R$ 725.090.565 em 2017. O Bourbon registrou crescimento de 21,2%, passando de R$ 23.444.206 para R$ 28.402.763.

Na hotelaria internacional, apenas o agrupamento dos independentes registrou resultado positivo. Cresceu 7,2% na venda de room nights (de 284.687 para 305.125). E 7,4% em faturamento (de R$ 149.008.332 para R$ 160.022.942). As demais redes apresentaram resultados negativos.

Locação nacional, internacional e transfers

Enquanto a locação doméstica recuou 9% (de R$ 168.758.566 para R$ 153.593.413), a internacional caiu 10% (de R$ 36.644.795 para R$ 32.983.076).  Localiza e Movida lideraram em venda de diárias e faturamento. A Localiza cresceu 0,2% em venda de diárias (de 913.317   para 915.089), enquanto apresentou oscilação quase zero em faturamento (de R$ 86.583.131 para R$ 86.555.918). A Movida caiu 0,9% na venda de diárias (de 519.078 para 514.637) e -7% em faturamento (de R$ 39.593.582 para R$ 36.813.948.Já o segmento de transfers cresceu 31,9%, em números absolutos. Foi de R$ 30.716.090 para R$ 40.529.867.

Download dos dados consolidados de 2017

Números Abracorp mostram crescimento das vendas

Na comparação do 3º trimestre de 2016 com o mesmo período de 2016, verificou-se incremento geral de 10%

As previsões da direção da Abracorp e das associadas se confirmaram, com a divulgação da movimentação de vendas do 3º trimestre de 2017. O resultado financeiro saltou de R$ 2.736.456.217 para R$ 3.010.952.011, configurando percentual positivo de 10%.

Os segmentos aéreos nacional e internacional lideraram o conjunto de vendas, com crescimento respectivo de 13,4% e 20,2%. Em valores, o aéreo nacional evoluiu de R$ 1.051.859.366 para R$ 1.192.886.682. E o internacional de R$ 814.805.710 para R$ 979.205.334.

O Mkt-share do aéreo nacional, em bilhetes emitidos, apontou a liderança da GOL, com 31,6%. Seguiram-se LATAM (28,4%); Azul 23,2%; e Avianca (15,8%). Em faturamento, GOL ficou com 32%; Azul 27,7%; LATAM 27,4% e Avianca 12,1%. A tarifa média avançou de R$ 598 para R$ 606, com variação positiva de 1.3%.

No aéreo internacional, LATAM registrou 16,7% do faturamento, seguida pela American Airlines (11,6%); Demais (9,6%); Airfrance (9,4%); Lufthansa (7,5%) e United (7,4%).

A hotelaria nacional e internacional ainda apresentou queda, mas em ritmo menos acentuado. O segmento nacional recuou 1,9% no 3º trimestre de 2017, em comparação com o mesmo período de 2016. Ou seja: de R$ 499.766.261 para R$ 490.467.110. O internacional caiu 3,2%, de R$ 99.816.762 para R$ 96.592.299.

TAP cria taxa e implanta de supetão
Na sexta-feira, 24/11, a TAP anunciou a implantação de uma taxa de serviço (1,95%) sobre as passagens aéreas pagas com cartão de crédito, já a partir do dia 27. Detalhe: no 1º dia útil após o anúncio. Medida fora postergada tempos atrás, mas acabou formalizada.

Diz o comunicado da TAP, “Essa medida pretende dar maior transparência à relação com seus clientes, que poderão, a partir dessa data, decidir a melhor forma de efetuar o seu pagamento de acordo com sua comodidade e conveniência, sabendo exatamente quais os custos envolvidos”.

Em contraposição a esta afirmação, a Abracorp e outros representantes da cadeia de viagens (incluindo companhias aéreas e o cliente), vêm sustentando que o cartão de crédito é o meio mais eficaz para pagamento de transações. Minimiza riscos de fraudes e possibilita total transparência no processo de compra. Além disso, otimiza sobremaneira o processo operacional, reduzindo, sim, custos operacionais.

Quando a TAP anunciou, no mês passado, essa decisão, a Abracorp e entidades congêneres alertaram para dois aspectos:

1 – elevação dos custos financeiros para o cliente e operacionais para as agências;

2 –  o timing na comunicação – informar o mercado das agências na véspera da implantação, tal como foi feito desta vez.

O montante de emissão que é feito na modalidade cartão de crédito (em torno de 70% na Abracorp) no segmento aéreo indica que o mercado já está consolidado com esse meio de pagamento. “É de estranhar essa decisão da TAP, pois em outros segmentos a discussão está exatamente na migração para o cartão de crédito como meio de pagamento preferencial, exatamente em função dos ganhos com produtividade, segurança e transparência”, afirma o diretor executivo da Abracorp, Gervasio Tanabe.

O cliente corporativo é tão impactado quanto as agências, com essa estratégia da TAP, pois irá encarecer em 1,95% o custo da passagem. “Em todas as passagens da TAP agora teremos que avaliar o seu custo, pois não podemos e nem queremos voltar ao processo faturado, exatamente pela transparência que o cartão de crédito oferece, além de outros benefícios operacionais”, alegam os coordenadores do TMG (Travel Management Group).

“O modelo faturado já não existe mais mundo afora, que optou por meios mais seguros e transparentes de transação de pagamento”, afirma Wellington Costa, diretor geral do GBTA Brasil.

Realizado 1º Encontro dos Comitês Abracorp

Na última quinta-feira, 23, no restaurante Fogo de Chão, Jardins, capital, realizou-se o 1º Encontro dos Comitês Abracorp. Confraternização e networking deram o tom amistoso do evento, protagonizado pela direção da entidade e membros dos quatro comitês ativos. “A Abracorp quis agradecer os profissionais que, de forma voluntária, contribuem e garantem o bom andamento dos Comitês”, pondera Daiana Moreira, Coordenadora dos Comitês.

Durante o encontro, cada coordenador do Comitê que integra fez uma apresentação sucinta da missão, das atividades e do plano de ação a ser trabalhado em 2018. Todos tiveram oportunidades de se conhecerem e perceberem a sinergia que se revela entre os grupos.

“Notou-se, no encontro, a conexão dos temas que são tratados pelos grupos. Foi possível observar, refletir e aprender, além de compreender o caráter intercomplementar dos Comitês”, observa Gervasio Tanabe, diretor executivo da Abracorp. Cabe lembrar que uma das propostas do Planejamento Estratégico da Abracorp é tornar os comitês mais ativos e necessários aos associados.

Após a participação dos Comitês e antes do almoço, seguiu-se palestra de Leandro Waldvogel, conhecido especialista brasileiros em storytelling corporativo. Apresentação de Waldvogel, intitulada “Seu poder está na sua história”, contou com patrocínio da Latam.

Para André Sena Keresztes, gerente sênior de vendas e e-commerce da LATAM Airlines, ações de capacitação, como o patrocínio da palestra de Leandro Waldvogel, potencializa os negócios de parceiros estratégicos como os da Abracorp, essencial no cenário atual em que já são percebidos sinais de recuperação econômica. “Trata-se de um legado que assumimos para auxiliar no desenvolvimento da indústria no Brasil”, diz.

RECEBA NOSSAS NOVIDADES

CADASTRE SEU E-MAIL E RECEBA NOSSA NEWSLETTER