All posts by Assessoria de Imprensa

Abracorp e Locadoras avançam na padronização de vouchers

Na tarde de segunda-feira, 30, o Comitê de Produtos da Abracorp reuniu-se com representantes das cinco locadoras de maior relevância no mercado, para dar sequência à tarefa de padronizar e simplificar os vouchers de faturamento para as agências de viagens. O grupo de trabalho envolve, além do comitê (formado por representantes da Avipam, Costabrava, Hostway e Tivolitur), as empresas Avis, Hertz, Localiza, Movida e Unidas. Chegou-se à conclusão de que apenas cinco modelos de documento atendem mais de 90% daqueles atualmente em uso (mais de 40 tipos).

O setor de locação representava, até 2015, cerca de 1,5% do total do volume de vendas das associadas ABRACORP. Esse número, em 2016, saltou para 2,3%, ou seja, um expressivo crescimento. Quanto mais simplificados e automatizados, os processos tendem a entrar na rotina das pessoas. Com isso, é natural a tendência de crescimento para o setor.

Para o diretor-executivo da Abracorp, Gervasio Tanabe, “estamos empenhados em buscar mecanismos de aprimoramento de processos. Cabe lembrar que esse esforço vem ao encontro da missão da entidade, que é ser referência na indústria de viagens corporativas, promovendo seu desenvolvimento”, explica. Tanabe acrescenta que a padronização dos vouchers vai beneficiar não apenas o segmento de viagens corporativas, mas todo o mercado de turismo. Em fevereiro haverá um novo encontro, com a presença de outros players impactados pela padronização.

Abracorp divulga dados consolidados das vendas de 2016

Apesar do recuo de 6,5% em relação a 2015, perspectivas para 2017 são positivas

A Abracorp – Associação Brasileira de Agências de Viagens Corporativas – divulgou, dia 26, balanço anual das vendas realizadas pelas 30 associadas da entidade. Pesquisa reflete todas as vendas e transações no período, que compreendem aéreo; hotelaria, locação e transfers (nacional e internacional); meios de pagamentos e serviços. “Considerando as dimensões da crise econômica do país, a retração das vendas das associadas Abracorp em 6,5% é menos drástica do que a verificada em outros setores. Enxergamos perspectivas positivas para 2017, embora não se possa arriscar números”, pondera o presidente do Conselho de Administração da Abracorp, Rubens Schwartzmann.

Abaixo, o quadro geral da movimentação de vendas, na comparação entre os exercícios de 2015 e 2016.

imagem_release_857334

Resolução 401 da ANAC agrega transparência e evita distorções

Publicada em 13 de dezembro último, a Resolução 401 da ANAC (Agência Nacional de Aviação Civil) veio contemplar reivindicação antiga da Abracorp. A partir de 14/03/2017, quando a medida entrará em vigor, nos cartões de embarque emitidos pela companhia aérea no momento de check-in deverá constar o valor da passagem. Esta informação estará impressa na via que permanecerá em poder do passageiro após o desembarque.

A medida permitirá que o cliente possa saber e ver quanto está pagando pela passagem aérea. Por outro lado, impedirá artifícios que conspiram contra o princípio da transparência, que a Abracorp defende de forma incondicional. A entidade busca, também, obter clareza nos preços de todos os canais. Outra vantagem adicional da Resolução 401 está nos casos de bilhetes provenientes de programas de milhas, os quais não trazem valor de tarifa.

A coibição das más práticas é muito bem-vinda para clientes e passageiros. Nada mais justo que estes não sejam enganados pelas pretensamente milagrosas tarifas promocionais, que, infelizmente, são oferecidas todos os dias no mercado. Clique aqui e veja a resolução 401 da ANAC.

Abracorp se posiciona sobre as novas regras anunciadas pela ANAC

Com previsão de serem implementadas em 14/03/2017, as novas regras para compra de passagens aéreas nacionais instituídas pela ANAC – Agência Nacional de Aviação Civil – apresentam pontos controversos e discutíveis. Um deles refere-se à cobrança de taxa de bagagem, cujo valor ficará a critério de cada empresa aérea, sem qualquer mediação regulamentar sobre valor ou definição para efeito de cálculo.

Segundo o presidente da ABEAR, Eduardo Sanovicz, “hoje nenhuma bagagem tem transporte gratuito, porque as empresas aéreas embutem nas tarifas as taxas para todos os passageiros, independentemente do que levam para os aviões. Passa a pagar quem usa a bagagem. Quem não usa, que é metade daqueles que viajam, não pagará”.

O teor da declaração de Sanovicz, de que a taxa de bagagem já está embutida nas tarifas atuais, leva à dedução de que os passageiros do segmento corporativo deverão pagar menos por suas passagens. Motivo:  os viajantes corporativos, costumeiramente, viajam sem bagagem. Desta forma, uma tarifa de ponte aérea que custou R$ 541,00 no 3º trimestre de 2016, conforme indicadores da ABRACORP, poderá, por exemplo, custar menos.

Já uma passagem de São Paulo a Fortaleza para um viajante em férias ou a trabalho, que ficará alguns dias no destino, poderá custar mais, considerando que ele viaje com bagagens. Para as companhias aéreas, tudo está sujeito à lei de oferta e demanda. O fato é que as chamadas receitas auxiliares, onde entram as bagagens, têm apresentado crescimento contínuo no faturamento das companhias aéreas.

Estudos de mercado aos quais a Abracorp teve acesso dão conta de que as companhias aéreas devem faturar, em âmbito global, somente com as receitas auxiliares, algo como U$ 68 bilhões em 2016 (crescimento de 13% em relação à 2015), o que equivale a cerca de 9% do faturamento total esperado.

A Abracorp entende que, se o foco é oferecer mobilidade e agilidade ao cliente, é imperativo que as plataformas de online booking tool (ou off-line) utilizadas pelas TMC´s possam integrar-se aos sistemas das companhias aéreas, no sentido de oferecer esse menu de serviços ao cliente. Isso tornaria o custo total algo previsível no orçamento do viajante, uma vez que o preço da passagem é, hoje, apenas componente tarifário de um todo.

A entidade também sustenta que as companhias aéreas devem divulgar, intensamente, suas estratégias individuais para tratar cada item das novas regras da ANAC, principalmente em relação aos procedimentos e valores que poderão ser cobrados por cada serviço. A Abracorp acompanha de perto a discussão e a implantação das novas regras, incluindo pontos importantes como prazos para reembolsos, remarcações, entre outros.

Abracorp promove 3º encontro do Comitê MICE

Membros do Comitê MICE da entidade reuniram-se no último dia 25 com representantes da TAP e do Hotel Dom Pedro, parceiros que apoiam a realização da Convenção Anual da Abracorp, entre 1º e 4 de dezembro, em Lisboa. Após fazerem uma apresentação das empresas com foco para o MICE, houve um debate sobre as perspectivas do segmento sob a ótica das TMC´s.

Dentre os pontos discutidos está o MARKETPLACE ABRACORP MICE, página especificamente voltada para atender as necessidades das TMC´s nesse segmento. O ambiente será, como o próprio nome diz, um marketplace, área que conectará fornecedores de toda a cadeia MICE aos associados Abracorp, pois hoje não há um ambiente que promova essa interação, gerando um desgastante trabalho de pesquisas.

Encontro de Gestores Financeiros da Abracorp

No último dia 21, a Associação Brasileira de Agências de Viagens Corporativas – Abracorp – reuniu representantes de 16 agências associadas, para discutir tratativas preliminares sobre as melhores práticas na Gestão Financeira das agências ABRACORP. O encontro discutiu temas que impactam, positiva ou negativamente, o dia a dia das agências. Em resumo, foram destacados procedimentos relacionados a Faturamento; infraestruturas de BackOffice; meios de pagamento dos serviços e Aspectos Contábeis, como tributação, entre outros pontos. O Encontro se deu na sede da Abav Nacional.

A Iniciativa contou com 21 participantes e foram representadas as associadas Maiorca, Copastur, Primus, Solid, Luck, Tristar, Tivolitur, Jet Stream, Casablanca, Carlson Wagonlit, Master Turismo, Riotravel, Alatur JTB, Sobratur, Maringá Turismo, Aeroturismo e Costa Brava. Como ocorre com os outros grupos formados na ABRACORP, o próximo passo será a formação de uma coordenação liderada por quatro ou cinco integrantes, para a implementação das ações propostas.

 

Convenção anual da Abracorp, em Lisboa, conta com parcerias estratégicas

Entre os dias 1º e 4 de dezembro, a Abracorp – Associação Brasileira de Agências de Viagens Corporativas, realizará sua convenção anual em Lisboa, capital portuguesa. A comitiva brasileira será recepcionada no Hotel Dom Pedro, um dos patrocinadores do evento. Também são parceiros estratégicos da Abracorp a companhia aérea TAP Portugal e a Schultz, operadora brasileira que atua no mercado europeu também a partir de Portugal.

A convenção tem como destaque de pauta a discussão do planejamento estratégico da entidade para os próximos cinco anos. Esse planejamento tem vínculo direto com os negócios das próprias associadas Abracorp – daí a sua importância. Baseia-se nas alavancas de valor, compiladas em quatro macro pilares que tem impacto direto em toda a cadeia produtiva de viagens, ou seja: os associados, os comitês temáticos, a comunicação e a capacitação. Será a guia-mestra dos caminhos que a entidade irá percorrer a partir de 2017. Esse trabalho é realizado pela KPMG.

Planejamento estratégico e BI, temas da convenção anual da ABRACORP, em LISBOA

A capital portuguesa, Lisboa, a mais brasileira das cidades europeias, vai receber a Abracorp – Associação Brasileira de Agências de Viagens Corporativas, para a convenção anual da entidade. O evento ocorrerá entre os dias 1º e 4 de dezembro, nas dependências do Hotel Dom Pedro. Além do hotel anfitrião, iniciativa conta com patrocínio da TAP.

A convenção deste ano tem um caráter especial, uma vez que nela será discutido o planejamento estratégico da entidade para os próximos anos. Esse planejamento tem vínculo direto com os negócios das próprias associadas Abracorp – daí a sua importância.

Baseia-se nas alavancas de valor, compiladas em quatro macro pilares que tem impacto direto em toda a cadeia produtiva de viagens, ou seja: os associados, os comitês temáticos, a comunicação e a capacitação. Será a guia-mestra dos caminhos que a entidade irá percorrer a partir de 2017. Esse trabalho é realizado pela KPMG.

Vai contemplar questões cruciais, como clientes e canaisprodutos e serviçosinfraestrutura e tecnologiagovernançapessoas e cultura. Prevê a criação de um dashboard com métricas claras de gestão dos processos. Os projetos que serão conduzidos a partir de janeiro/17 compõem a pauta principal da convenção. Outro item relevante serão os novos indicadores que a Abracorp disponibilizará a partir de janeiro/17. Além das informações tradicionalmente divulgadas há 5 anos, agora os indicadores serão base de um BI (business Intelligence) Abracorp.

Vão revelar muito mais que a participação de mercado aos associados e fornecedores, mas um amplo cardápio de dados gerenciais. Inclui tipos de tarifas por cabines, par de cidades, período de estadia, destinos, entre outras informações de alta relevância, capazes de propiciar um estudo consistente de benchmarking e de tendências.

Relações parceiras

As parcerias, mais uma vez, foram determinantes para a escolha de Lisboa como sede da convenção deste ano. O país e sua capital buscam a consolidação no cenário mundial dos destinos corporativos, com investimentos em equipamentos e infraestrutura para a realização de pequenos, médios ou grandes eventos – corporativos ou não. Considerando a importância das ligações aéreas para a escolha de destinos, a TAP Portugal está muito bem situada no Brasil, com operações a partir de 10 cidades brasileiras para Lisboa e Porto. O fato é que o segmento corporativo entrou com força total na pauta da TAP e faz parte dos objetivos da companhia aérea para 2017.

Segundo diretor do Turismo de Portugal, em São Paulo, Bernardo Cardoso, “com esta parceria com a Abracorp, que é referência no segmento corporativo, pretendemos apresentar Portugal como uma opção válida para os seus associados e clientes”. Conhecido como um dos melhores destinos de lazer na Europa, o país vem se destacando, também, no turismo de negócios e eventos. Para se ter uma ideia, o segmento MICE (Meetings, Incentives, Conferences e Exhibitions) superou, em 2015, o de ‘sol e mar’, de acordo com a Associação da Hotelaria de Portugal (AHP).

Lisboa é considerada uma das capitais mais seguras de todo o continente europeu. Vem ganhando a preferência para a localização de centros de serviços de empresa multinacionais e hoje é uma das cidades mais vibrantes da Europa. Não por acaso, tem o status de um grande hub para startups, além de ser sede do Web Summit – maior evento de tecnologia e inovação do mundo – em 2016, 2017 e 2018.

Pesquisa de vendas da Abracorp aponta recuo de 11,9%

A Diretoria Executiva da ABRACORP divulgou no último dia 27, no Blue Tree Hotel Morumbi, os resultados de vendas referentes ao 3º trimestre de 2016. Seguindo, exatamente, o que aconteceu nos primeiros 2 trimestres do ano, o 3º. Trimestre mostrou uma retração do volume total de vendas em 11,9%, comparando-se com igual período de 2015.

Em números absolutos, os R$ 3.106.321.911 do ano passado caíram para R$ 2.736.456.259. No acumulado dos três trimestres, os R$ 8.812.461.521 contabilizados em 2015 recuaram para R$ 7.787.799.381 em 2016, o que representa variação negativa de 11,6%. 

Segmento Aéreo Nacional

O segmento aéreo doméstico apresentou uma redução de 12,6% nas vendas e de 9,3% nos bilhetes emitidos. Como reflexo, tivemos uma tarifa média de R$ 620,00, uma variação de -3,6% em relação a 2015. A Avianca registrou variação negativa de 13% no 3º trimestre (de 233.368 para 203.133), na comparação com o mesmo período de 2015. Em faturamento, a oscilação foi de -23,8% (de R$ 123.583.341 para R$ 94.112.864). A Azul recuou 6,6% em bilhetes emitidos (de 464.716 para 434.258) e, no faturamento, cresceu 0,8% (de R$ 309.675.078 para R$ 312.077.327).

A Gol apresentou queda de 8.4% em R$ bilhetes emitidos (de 603.509 para 552.531) e, em faturamento, redução foi de 11% (de R$ 351.979.135 para R$ 313.424.260). A emissão de bilhetes da TAM decresceu 11,5% (de 604.781 para 535.278), enquanto o faturamento passou de R$ 400.178.415 para 315.305.850 – variação negativa de 21,2%. O agrupamento das ‘demais’ cresceu 0,4% em bilhetes emitidos e decresceu 7,3% em faturamento.

Na participação do mercado, em bilhetes emitidos, a Gol liderou com 31%, seguida pela TAM (30%); Azul (25%); Azul (12%) e ‘demais’ (2%). Em vendas, empate tríplice entre Azul, Gol e TAM (30% cada). A Avianca ficou com 9% e as ‘demais’ com 1%.

Segmento Aéreo Internacional

No segmento aéreo internacional, a redução foi menor, apontando variação negativa de 7,9% em vendas e 6,2% em bilhetes emitidos. Nos bilhetes emitidos, a TAM cresceu 5% (de 37.178 para 39.042). Também registraram variação positiva a TAP (17,4% ou de 9.963 para 11.346) e a Copa (14% ou de 10.524 para 11.995). Já a American (-7,5% ou de 26.562 para 24.564); a United (-0,5% ou de 12.348 para 12.282); a Lufthansa/Swiss (-15% ou de 13.552 para 11.468); Air France/KLM (-15,2% ou de 16.954 para 14.272); e Delta (-4,8% ou de 12.791 para 12.177) sofreram variações negativas.

Em faturamento, a TAM liderou em volume – R$ 134.926.772. Porém, recuou 4,1% em relação ao 3º trimestre de 2015, quando vendeu R$ 140.630.650. A American avançou 2,6%, evoluindo de R$ 103.374.635 para R$ 106.095.684. O faturamento da United cresceu 25,6% (de R$ 53.582.537 para R$ 67.313.127). E o da Lufthansa/Swiss recuou 23,5% (de R$ 82.265.292 para R$ 62.973.406. A Airfrance/KLM sofreu variação negativa de 23,4% (de R$ 80.104.709 para R$ 61.327.396), enquanto a Delta cresceu 9,1% (de R$ 50.004.450 para R$ 54.547.509). A TAP também registrou resultado positivo de 52% (de R$ 37.486.298 para R$ 39.432.935). A Avianca evoluiu 9,2% (de R$ 29.590.830 para R$ 32.304.592) e a Copa aumentou o faturamento em 16,1% (de R$ 30.180.842 para 35.046.130). 

Segmento Hotelaria Nacional

A rede BHG/Solare destacou-se na venda de room-nights e faturamento, na comparação com o 3º trimestre de 2015. Evoluiu de 53.260 para 76.396 diárias vendidas, com crescimento de 43,4%. No faturamento, saltou de R$ 13.681.756 para R$ 18.202.860 ou 33,0% de variação positiva. A Blue Tree Hotels cresceu de 53.322 para 61.831 diárias vendidas (16,0%), enquanto o faturamento aumentou de R$ 15.222.871 para R$ 15.809.770 (3,9%). A venda de room-nights do Meliá oscilou de 28.312 para 31.565 (11,5%); e o faturamento foi de R$ 9.756.936 para 10.457.500 (7,2%).

As demais companhias hoteleiras registraram resultados descendentes. O Windsor recuou de 41.025 para 29.287 em vendas de diárias (-28,6%) e de R$ 17.116.063 para R$ 11.786.520 (-31,1%) em faturamento. O Bourbon decresceu de 28.652 para 20.324 diárias vendidas (-29,1%) e de R$ 9.086.228 para R$ 6.098.015 (-32,9%) em faturamento. Vale registrar o desempenho do agrupamento ‘Independentes’, que representa 35,9% do market-share. O recuo nas vendas de room-nights se deu de 1.167.750 para 1.032.719 (-11,6%) e no montante de vendas caiu de R$ 214.829.656 para R$ 179.610.271 (-16,4%). A tarifa média da hotelaria nacional foi reduzida em 4%, ficando em R$ 212,00. 

Outros segmentos

Na locação de veículos nacional, destaque para o desempenho da Movida, que evoluiu de 103.419 para 127.805 diárias (23,6%) e de R$ 7.753.948 para R$ 9.628.013 (24,2%) no faturamento. O valor médio da diária caiu 4,4%, ficando em R$ 94. Na locação internacional, o faturamento da Hertz oscilou de R$ 5.073.878 para R$ 3.567.303 (-29,7%), enquanto que o da Localiza diminuiu de R$ 94.994 para R$ 61.902 (-34,8%).

Em termos de meios de pagamento, o cartão de crédito liderou no segmento aéreo (75%), contra 25% de venda faturada. Dos 75% referentes à modalidade, 32% ficaram com a American Express. Visa (15%), MasterCard (14%) e Outros (14%). Na hotelaria e outros serviços, os cartões de crédito aparecem com 52%, contra 48% das vendas faturadas. ‘Outros cartões’ lidera com 25%, seguido do MasterCard (16%).

No cômputo geral, vale destacar a performance positiva do segmento de eventos corporativos, que evoluiu de R$ 146.112.011 para R$ 151.309.604 – variação positiva de 3,6% no 3º trimestre de 2016, na comparação com igual período de 2015.

Abracorp MICE Florida Tour 2016 leva 18 associadas aos EUA

Entre 27 de agosto e 2 de setembro, a Associação Brasileira de Agências de Viagens Corporativas – Abracorp – realizou o MICE Florida Tour 2016, com apoio da Azul Linhas Aéreas e Fort Lauderdale Convention & Visitors Bureau. A viagem foi capitaneada pelo diretor executivo da entidade, Gervasio Tanabe. O Tour foi marcado por três momentos muito significativos, todos tematizados no segmento MICE (Meetings, Incentives, Congresses and Exhibitions), que apresenta tendência de crescimento amplo no portfólio de serviços oferecidos pelos associados Abracorp.

O primeiro e um dos pontos mais importantes do Tour foi a reunião do Comitê Abracorp MICE, no dia 28/8, com a presença do presidente da AMPRO (Associação de Marketing Promocional), Wilson Ferreira Junior, que participou ativamente da reunião. Foram debatidos temas de extrema relevância para a evolução do setor MICE no Brasil e algumas decisões foram tomadas. Uma delas é a consolidação de sinergia mais ampla e consistente entre a Abracorp e a AMPRO, no sentido de se buscar conscientização e maior capacitação da cadeia que movimento o setor.

Durante a reunião foi anunciado o Abracorp MICEXPERIENCE, um novo programa que proverá ao associado ABRACORP MICE de um nível de qualificação por meio da “experiência segmentada”. Junto com a CH TRAVEL e outros parceiros organizadores de feiras e destinos, a Abracorp criará uma programação de visitas técnicas onde os especialistas MICE das associadas poderão vivenciar o ambiente técnico dos vários segmentos de negócios. Um deles será, em parceria com o Florida Association of Farms, visitas às fazendas produtoras de frutas, entre outros mercados.

“A vivência no próprio ambiente, em contato com esses profissionais, permitirá ao nosso associado uma experiência única no desenvolvimento de programas técnicos para seus clientes, ao mesmo tempo em que poderá agregar atrações que os destinos podem oferecer” – diz Gervasio Tanabe, diretor executivo da Abracorp.

A segunda etapa do tour, a convite do Fort Lauderdale Convention & Visitors Bureau, incluiu visitas aos vários equipamentos disponibilizados por esse destino, principalmente o seu grandioso centro de convenções. A cidade, que tem ligação aérea direta com um voo diário da AZUL, a partir do Aeroporto de Viracopos, em Campinas, oferece uma grande estrutura hoteleira. Uma visita pelos watertaxis dá uma visão da bela cidade, a cerca de 40 minutos de Miami. Em Fort Lauderdale também está uma das mecas de consumo dos brasileiros, Sawgrass Mills, um dos maiores outlets dos Estados Unidos.

E finalmente, pelo terceiro ano consecutivo, a Abracorp participou da feira La cita de las Americas, que neste ano foi realizada no Trump National Doral, em MIAMI. Lá os associados Abracorp, presentes como hosted buyers, participaram de encontros com fornecedores dos Estados Unidos, numa rara oportunidade de negócios com empresas fortemente estabelecidas no mercado norte americano. Para Rick Still, organizador da feira, a Abracorp é uma das mais atuantes entidades no apoio a La cita. Para 2017, a Abracorp apoiará a organização do evento, na preparação de sessões de palestras com temas específicos para os buyers e para os fornecedores que estarão presentes na feira, agregando valor ao já tradicional evento.

RECEBA NOSSAS NOVIDADES

CADASTRE SEU E-MAIL E RECEBA NOSSA NEWSLETTER