Por Lucio Oliveira

Como tomar melhores decisões no Atual Mercado do Turismo?

Olá Empreendedores e Gestores deste imenso e apaixonante mercado do Turismo, é com muita honra que escrevo esta matéria para todos os decisores do mercado do Turismo, em especial para todos os que atuam diretamente no mercado de viagens a negócio, eventos e incentivos.

Quantas são as decisões a serem tomadas diariamente no mercado atual das viagens corporativas?

Ao longo destes últimos anos como consultor e conselheiro, tive a oportunidade de conviver em projetos com mais de 150 empresários e gestores do turismo de todos os segmentos e tamanhos. Isso me proporcionou traçar uma amostra para definir um perfil dos bravos militantes do nosso mercado. A partir destes aprendizados, consegui encontrar algumas das dores que os afetam fortemente nas decisões . Descrevo aqui 6 delas que considero mais estratégicas:

  • Manter a lucratividade do negócio mesmo com a queda brusca das margens.
  • Sobreviver a concorrência acirrada com mais players nacionais e internacionais que se utilizam de novos canais de comunicação e vendas na busca pelos clientes.
  • Adaptação ao novo consumidor e ainda gerar valor agregado aos serviços prestados.
  • Capacidade de segmentar a empresa, engajar a equipe e ainda implementar um modelo orientado a gestão de resultados.
  • Implementar a eficiência total, a competitividade, o encantamento e a entrega aos clientes.
  • Mitigar todos os riscos do negócio e ainda se manter

Para conseguirmos tomar as melhores decisões para estes principais desafios, temos, primeiramente que dividir nosso aprendizado em 02 etapas, sendo elas a primeira em entendermos os conceitos sobre tomada de decisões e após isso, como podemos tomar as melhores decisões no mercado do turismo.

Como tomamos as decisões de nossas vidas?

Os estudos da psicologia e da neurociência, mostram que tomar decisões é escolher entre alternativas. Toda decisão pressupões a uma renúncia.

Tomamos nossas decisões baseados em 5 aspectos e emoções:

  • Instintos

Baseado em emoções de sobrevivência da espécie.

  • Crenças Subconscientes.

Decisões baseadas em aspectos com alta carga emocional com pouca influência de outras pessoas.

  • Crenças Conscientes

Pensamento estruturado com tempo para tomada de decisões e pouca carga emocional, baseando em experiências do passado e projeções futuras.

  • Valores

Decisões alinhadas a valores  e não crenças, sempre de forma racional.

  • Intuição

Pensamentos com foco na sabedoria com reflexão e conhecimento profundo.

E as decisões nas empresas, como são tomadas em sua maioria?

Dentro das organizações existem níveis de hierarquia para que possamos ter um aprimoramento da tomada de decisões e com isso a busca pelos melhores resultados.

O posicionamento, valores, crenças, a cultura e o momento da empresa, irão pesar diretamente nas decisões dos líderes.

Um dos pontos mais importantes é buscarmos um equilíbrio entre todos os elementos da cadeia de tomada de decisões dentro das organizações.

A tomada de decisão equilibrar traz muito resultado para as organizações e para que possamos ter uma decisão eficiente temos que seguir 07 passos para o êxito:

  • Conhecer bem o Problema
  • Limitar as opções de escolha
  • Apoiar-se totalmente em dados
  • Avaliar todos os possíveis riscos
  • Pensar no histórico passado e nas experiências
  • Ter assertividade no momento da decisão
  • Considerar o futuro e os impactos da decisão a ser tomada

A segunda etapa para tomarmos as melhores decisões no atual mercado do turismo, é após entender bem o momento e as tendências do mercado, ter nossas decisões amparadas em dois pilares:

  • Tomar as decisões amparadas na gestão de riscos da empresa, seja ela uma TMC, um fornecedor do TRADE e uma empresa Compradora. Alguns pontos do atual mercado não podem ser ignorados quando o assunto é Riscos, como gestão da informação, compliance, transparência, qualidade e riscos da entrega dos serviços e principalmente devemos tomar as decisões amparados nas questões de sustentabilidade financeira, ou seja, capacidade de crédito a ser assumido, margens mínimas de ganho, e riscos de honrar os compromissos e vencimentos das despesas do projeto ou contrato dentro dos prazos e condições negociadas.
  • Sempre buscar a decisão através da visão de PARCERIA, onde todos os players devem dividir de forma profissional e transparente, seus limites e riscos para conquistar a longevidade de toda a cadeia do turismo de negócios no médio e principalmente no longo prazo. Temos que ter claramente que o projeto ou contrato tem que ser bom de forma equilibrada para os TMC´s, para os Fornecedores, para as Empresas Compradoras e para os Viajantes.

Somente com esta visão e execução poderemos ter um mercado mais justo, transparente, profissional em que todos possam ter a competitividade aliada a longevidade de seus negócios.

 Concluo que temos que praticar uma visão de que Sozinhos vamos mais rápido, porém Juntos vamos muito mais Longe e para isso será preciso executar os princípios e valores de uma governança corporativa madura e profissional, onde 3 pilares são essenciais para a sobrevivência e longevidade das empresas no mercado no longo prazo…

Transparência, Meritocracia e Equidade.

Lúcio Oliveira é Graduado em Jornalismo pela UNICAP, com MBA em Marketing pela FGV, especialização em negócios nos EUA pela Miami Dade College, certificações de Business e Executive Coach pela SBC e Formação de Conselheiro de Empresas pelo IBGC.

*Conteúdo da palestra disponível em http://abracorp.org.br/apresentacoes/