GBTA.RIONo último dia 31, o GBTA BRASIL realizou o Simpósio “ENERGY, RESOURCES AND MARINE TRAVEL”, no Rio de Janeiro.

Durante o simpósio que reuniu clientes corporativos do segmento de oil & gas, teve participação da ABRACORP no debate “Sustentabilidade e melhoria de processos na hotelaria”.

Este debate, moderado pelo diretor executivo da ABRACORP, Gervasio Tanabe, contou também com a participação de Marcos Fernando Gay, da MFL, empresa de TI que desenvolveu o B2B RESERVAS, de Rosangela Gonçalves, diretora comercial da Rede WINDSOR e Fernando Michelline, gerente geral do segmento de oil & gas da CWT, associada ABRACORP.

O debate discutiu temas que tem causado forte impacto em toda a cadeia produtiva da hotelaria nacional e internacional ao longo dos últimos anos, principalmente porque nesse período o volume de  transações hoteleiras apresentou um crescimento vertiginoso, com grandes custos à sustentabilidade.

Em decorrência desse crescimento, as transações terrestres tem se tornado o maior desafio para as agências de viagens . A extensão territorial do País, somada à fragilidade na distribuição causam sérias dificuldades para a gestão do dia-a-dia do segmento corporativo. Alguns fatores são críticos para o desenvolvimento do setor :

  •   O mercado de hotelaria nacional altamente fragmentado
  •  Alcance limitado das grandes redes
  •  Processos de faturamento morosos e manuais, mesmo nas redes
  •   Processos operacionais burocráticos e despadronizados
  •   Recursos online limitados
  •   Financiamento de clientes a cargo das agências de viagens e dos hotéis
  •  Custos de distribuição

O debate serviu para ilustrar o estágio atual das relações da cadeia, com a discussão de temas como :

– custos de distribuição para a hotelaria

– diferenças entre processos de hotelaria e aéreo

– a relutância do cliente corporativo em utilizar o cartão de crédito como meio de pagamento no setor, à exemplo do que acontece no segmento aéreo

– o cenário e o papel de cada player desta cadeia

– os diferenciais que a ferramenta promovida pela ABRACORP, o B2B RESERVAS pode proporcionar em toda a cadeia.

A conclusão, geral, após o debate foi de que, além dos investimentos na tecnologia, como ocorre na plataforma B2B, o setor precisa, urgentemente, concentrar esforços em quebrar paradigmas para propiciar uma verdadeira revolução no setor, que gerará importantes frutos para a sustentabilidade dos negócios e das pessoas.