Sheila Ramos*

Você, profissional da área de eventos, provavelmente já escutou a frase: “Você só viaja, eu queria ter um emprego desse!”

Talvez este desejo não se mantivesse depois da primeira noite, com apenas 2 horas dormidas após uma longa jornada de 22 horas seguidas de trabalho. Ou, quem sabe, após perder o aniversário de um filho ou até mesmo o seu próprio aniversário longe da família e amigos.

Não por acaso, em uma pesquisa realizada pela Forbes nos Estados Unidos, em 2017, o organizador de eventos ficou em 5º lugar no ranking das 10 profissões mais estressantes, atrás apenas de militares alistados, bombeiros, pilotos de cias aéreas e policiais.  Ao observarmos a rotina deste profissional, vemos tantos processos e ações simultâneas, aliados à pressão de que nada pode sair errado, resultando em uma carga horária cada vez maior, uma rotina cada vez mais irregular e muitas xícaras de café, pré-requisitos para uma boa crise de estresse.

Por outro lado, o profissional de eventos costuma se hospedar nos melhores hotéis e resorts do Brasil e do mundo, degusta menus assinados por grandes e renomados Chefs e recebe convites para conhecer novos destinos e produtos que, na grande maioria das vezes, seu salário não poderia lhe proporcionar jamais.

Isto gera um dilema entre “ônus X bônus” em uma constante reflexão, se está valendo a pena tanto esforço e dedicação.  O que muitos não sabem é que, por trás de tudo isto, as pessoas que trabalham nesta área são movidas pela paixão pelo que fazem. São totalmente viciadas na adrenalina e na falta de rotina e, principalmente, na sensação de êxtase ao presenciarem o sucesso do evento in loco, ao verem os participantes serem surpreendidos a cada evento com algo inusitado.

Contudo, não podemos nos esquecer de que este momento é efêmero e que, para se chegar a ele tivemos que empreender grande desgaste físico e psicológico, fatores esses que podem culminar em uma “Síndrome de Burnout”, ou seja, um intenso esgotamento físico e emocional.

Seguem abaixo algumas dicas de como podemos amenizar esse perigoso quadro, mantendo não só uma melhor qualidade de vida, mas principalmente elevando também a qualidade dos eventos que beneficiará a todos:

1) Conecte-se com seu corpo: escute suas músicas preferidas, faça um break de pelo menos 15 minutos pela manhã e à tarde, tenha sempre lanchinhos rápidos e saudáveis à mão e aposte em uma alimentação mais saudável e, de preferência, sem usar o celular enquanto se alimenta.  Estas pequenas ações lhe ajudarão a aliviar um pouco o impacto da falta de rotina e a sobrecarga de trabalho no seu dia a dia.

2) Delegue responsabilidades: caso você não seja um super-herói dotado de superpoderes, não tente fazer tudo sozinho!  Lembre-se de que, quando dividimos, além de somar forças, multiplicamos. Assim, você terá mais tempo para criar conteúdos mais interessantes.

3) Potencialize sua força usando um bom canal de distribuição: por meio da parceria com uma boa TMC (Travel Management Company), você obtém o melhor custo-benefício e amplia seu campo de visão. Estes profissionais possuem um alto poder de negociação baseado em grande volume de negócios e conhecimento do que o mercado tem a oferecer; quais são os melhores players, os mais flexíveis ou inflexíveis, os novos produtos e serviços recém-inaugurados.  Estas empresas buscam a longevidade da parceria, afinal eles não querem lhe atender somente em um job e sim estabelecer uma relação duradoura, tanto para suas viagens corporativas quanto para seus eventos.  Assim, sempre buscam a melhor opção que vá ao encontro da sua necessidade para aquele momento específico, com uma visão sobre o todo. Isso não ocorrerá em uma negociação direta com o fornecedor final, que visa ter sucesso naquela única venda. Afinal, sua empresa pode demorar alguns anos para voltar àquele local.

4) Não arrisque a sua carreira: cuidado com as armadilhas que às vezes a redução do budget lhe traz.  Como citado no item anterior, a ajuda de um profissional competente lhe trará o melhor custo-benefício, sem colocar em risco a segurança de seus convidados e ainda lhe alertará sobre o que é imprescindível e que às vezes passaria despercebido, como a necessidade da contratação de um seguro, uma ambulância ou um veículo blindado.  Diariamente, todas as TMC´s são acionadas para socorrer algo que não saiu como o esperado ou prometido por algum fornecedor não qualificado, ou até mesmo que ninguém havia se atentado. Como vimos, essa profissão já é muito desgastante, você não precisa elevar ainda mais o seu nível de estresse, entrando em uma situação de risco assim.

*Sheila Ramos, coordenadora do CLEVI (Comitê de Logística de Eventos e Viagens de Incentivo) da Abracorp, tem em seu DNA a expertise dos maiores profissionais em logística de eventos do mercado, com o objetivo de compartilhar as melhores práticas neste segmento, assim como encontrar as melhores soluções sustentáveis para a tríade de associados, clientes e fornecedores, fortalecendo o segmento MICE (Meetings, Incentives, Conferences and Exhibitions).